sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Christensonella ou Maxillaria mosenii ou madida

Maxillaria madida Lindl. 1838;

Sinônimos: Christensonella cepula (Rchb.f.) S. Koehler 2007; Christensonella madida ( Lindl. ) Szlach. , Mytnik , Górniak & Miszek 2006; Maxillaria cepula Rchb.f. 1855; Maxillaria crassifolia Lindl. 1872; Maxillaria echinochila Kraenzl. 1920; Maxillaria hatschbachii Schlechter 1926; Maxillaria madida var cepula [Rchb.f] Hoehne 1952; Maxillaria madida var. monophylla Cogn. 1907; Maxillaria madida var pallida [Klinge] Cogn. 1904 Maxillaria mosenii var. hatschbachii (Schltr.) Hoehne 1947; Maxillaria mosenii var. echinochila (Kraenzl.) Hoehne 1947;




Nativa de Minas Gerais, Brasil.

A peculiaridade desta orquídea é ter a sua flor exalando um cheiro de melão irresistível por mais que 15 dias. Se não fosse isto ela teria passado desapercebida no Brasiliana.



Ganhei esta touceirinha de uma amiga no início da orquidofilia e ela se desenvolveu muito bem entre todas as Maxillarias que morreram por aqui, umas afogadas no substrato constantemente encharcado, outras nem entendi como. Hoje sei que elas têm raízes finas e gostam de substrato seco com vaso de drenagem rápida. Na época nem fazia idéia o que as agradava ou necessitavam para a sua sobrevivência.

Se me perguntarem, não troco, não corto mudas/frentes desta lindinha e das demais. A intenção é formar uma única touceira enorme ou até onde houver espaço entre as demais. Rs.

Duas flores é muito pouco! Fazer o quê, se souber me diga...rs.



Outra coisa, se continua como Maxillaria ou foi para Christensonella, seja qual denominação botânica atual, anotei tudo na etiqueta dela, sempre vai e volta. Rs. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário