sexta-feira, 17 de maio de 2019

Acianthera binotti


Considerei esta espécie na minha lista de desejos por muitos anos! Soube ser nativa do Espirito Santo e quando lá estive nem vi rastro dela nos orquidários da região. Havia visto um desenho botânico dela e publicações no grupo de orquidófilos na web.

Minha curiosidade em relação a ela veio por saber do tamanho enorme do seu vegetativo em relação as demais Aciantheras, antigamente denominadas Pleurothallis.

Bingo! Fui num orquidário de Jundiai que considero bem conceituado e tradicional e lá estava ela linda e formosa sem flores! Quase chorei de emoção quando ela floriu neste ano! Veio com força e com várias hastes. Uma belezura!

Recomendo tê-la na sua coleção! Seu vegetativo é vistoso e suas flores um encanto!

Não dá pulgão ou cochonilha! Incrível! O que diferencia das demais Aciantheras...

Ainda não a replantei. Quando o musgo estiver ruim devo fazê-lo com o maior cuidado porque não esta fixada em madeira alguma.

Bom cultivo!



Nenhum comentário:

Postar um comentário