sexta-feira, 5 de abril de 2019

Orchis papilionacea ou Anacamptis papilionacea - Orquidea terrestre do Mediterraneo



Orchis ou Anacamptis papilionacea é o detaque de hoje!
Visitando a Itália fiquei hospedada numa casa de oração numa das cidades visitadas. Lá fui conhecer o jardim e reconhecer algumas árvores nativas da Europa e entender o que havia lido sobre elas no livro A vida secreta das arvores - Peter Wohlleben.


Vi várias flores e um jardim extremamente bem cuidado pelas responsáveis.
Apreciei pedaços de cactos que se parecem com kiwi na textura e sabor oferecidos pela anfitreã. Vi eucaliptos nativos da Australia e que foram plantados no terreno, idem aqui e em qualquer lugar do mundo (Consideram o eucalipto o responsável pelo incêndio em Portugal em 2016 após ser atingido por um raio, sua explosão com o vento forte haveria se propagado o fogo rapidamente no seu entorno). Vi castanheiras antigas e nativas que preservam a umidade e a água no solo.

Percorrendo o jardim fiquei encantada com as flores rasteiras como a da foto acima. De repente vi uma cor de rosa com vinho e um labelo escandaloso para o tamanho da flor! Olhei cuidadosamente e desconfiei ser uma orquídea terrestre nativa da região. Pesquisei e nada. Dai ocorreu a idéia de tirar uma foto e enviar para um aplicativo de reconhecimento botânico denominado PlantSnap. Bingo! Possivel identificação para Orchis papilionacea. Pesquisando mais no Google soube ser nativa do Mediterrâneo e adora solo levemente ácido. Floração prevista para fevereiro, mas estavamos em março e as flores começavam a abrir naquela semana onde a temperatura começara a subir dois graus por semana.
Duas reflexões que ainda estou pesquisando

1- solo levemente ácido significa perto da sombra de um pinheiro onde elas estavam em grande número fora da projeção da copa.
2- o fato de ter tido um inverno intenso, retardou a sua floração em um mês e a razão da temperatura estar se elevando suas hastes florais despertaram rapidamente.

3- sem nenhuma pretensão de encontrar orquídeas durante a viagem, foi um presente inusitado conhecer o habitat da Orchis papilionacea!

Estando no seu habitat e vendo como ela desperta, posso modificar a localização e o cultivo das minhas terrestres da coleção Brasiliana. Por exemplo expondo-as mais ao sol, vento forte e subtrato mais compactado e levemente ácido. Toleram grande variação de temperatura e não toleram solo muito úmido ou retenção de água.

Dica - farei uma longa pesquisa de todas as terrestres que possuo na Brasiliana e revisarei substrato com a localização delas por aqui.

Bom cultivo das terrestres do Mediterrâneo e do mundo!





Nenhum comentário:

Postar um comentário