sexta-feira, 1 de março de 2019

Bifrenaria aurofulvea

Oi! Chuvas intensas e alta temperatura marcaram as duas semanas anteriores ao post de hoje.

Há de se ter cuidado para não cozinhar as orquídeas neste período. A escolha do horário da rega deve ser criteriosa e observada no local do orquidário.

Aqui deixo o sol cruzar a casa, dou duas horas para as orquídeas baixarem a temperatura, daí rego todas por volta das 14 horas. Se dou água logo pela manhã, qualquer resquício nas folhas queimariam com sol a pino e abortariam as frentes das plantas. Se dou água durante a noite elas se ressentem muito se a chuva persistir durante a madrugada e o dia seguinte. Prefiro desativar a irrigação automática e realizar a rega manual, assim observo os vasos e substratos durante o dia.

Publico hoje a pequena notável Bifrenaria aurofulvea. Uma jóia brasileira! Nativa do Rio Grande do Sul a Bahia e Minas Gerais.

Comprei em 2016 de um orquidário especializado em orquídeas nativas. Há várias espécies e mudas pequenas com valores bem acessíveis no site dele.

Veio sem flor, 3 pseudobulbos. Todo ano em janeiro ou fevereiro soltou uma haste floral. Melhorou muito depois que acrescentei musgo perto do pseudobulbo em dezembro quando as temperaturas se elevaram e permaneceram altas por dias.

Dica de um colega que repasso para voces - acrescente musgo sobre o substrato para manter a umidade no vaso. Acabei com o estoque de musgo chileno e nem fiz a conta de quanto saiu em reais. Há Cattleyas que não devem ser replantadas e nem será necessário alterar o seu substrato acrescentando o musgo.

Nesta espécie a flor não abre totalmente. Tem um perfume bem característico e dura até uma semana ganhando o tom alaranjado forte e começando com o amarelo claro.

Dica desta espécie - não despreze os pseudobulbos anteriores, pois é neles que vem a haste floral. Não vem no pseudobulbo em desenvolvimento. Lembre-se disso.

Outra dica - as formigas adoram o açucar desta orquídea! Não deixe  que desenvolva pulgão a partir destas formigas. Observe e limpe sempre. Exponha num lugar com mais umidade e vento.

Aqui toma de 2 a 3 horas de sol pleno por dia e está indo bem.

Antes estava somente com substrato 100% em musgo. Não gostei! Retinha muita umidade nas raízes. Mudei para substrato misto e vaso cerâmico.

Cuidado para as suas folhas não queimarem nas pontas. Se expor mais ao sol, suas folhas se ressentirão. Delicadas e finas, suas folhas gostam de luz e pouca exposição direta ao sol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário