sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Bulbophyllum barbigerum

Ah, se não conhece a espécie Bulbophyllum, precisa iniciar por um exemplar.

Aqui comecei por alguns cultivados no cachepot de peroba fixados num painel de madeira, no primeiro verão tomaram tanta chuva que apodreceram rapidamente, pois estavam cultivados no musgo nacional. O arranjo estava lindo! Esta foi a primeira lição com eles. Gostam da rega controlada.

Fiz a mudança para pendurais numa região sombreada com pouco sol pela manhã, debaixo do plástico agrícola e foram super bem! Segunda lição, adoram o sol da manhã e claridade grande parte do dia.

Ganhei cortes de uma amiga, cortes de outro, adquiri outros exemplares e dei de presente vários cortes para meus amigos no Paraná. Terceira lição: entouceram rapidamente e são extremamente agradáveis no cultivo.

Hoje o Bulbophyllum barbigerum está florido. Por acaso vi suas hastes na hora de dar uma repassada nos vasos. Ele não tem perfume que consigamos identificá-lo entre outras florações.

Sua floração acontece no verão durante o mês de janeiro. Comentam que ele pode dar mais que uma floração, ainda não aconteceu por aqui. Expus ele num local com mais sol e deu mais hastes este ano, pois soube ser da Nigéria.

Uma delicadeza de labelo e flores bem miúdas. Tem vegetativo interessante, pseudobulbos achatados e quase triangulares.

Suas folhas pequenas não caducam, o que cria um conjunto bem bonito quando entouceira.


Gostam de substrato miúdo misto e musgo chileno com vaso de drenagem rápida.

Quando este substrato envelhecer mudarei o cultivo dele para valorizar sua haste pendente.

Bom cultivo!



sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Eria spicata Moir ou Eria bractenses

Olá,

Destaco hoje a Eria spicata Moir ou Eria bractenses (tem duas folhas no topo do pseudobulbo e não tem perfume. Veja este link http://www.orchidspecies.com/eriaspicata.htm). O exemplar que possuo mais se enquadra na descrição de Eria bractenses, mas um amigo brasileiro das redes sociais afirma ser Eria spicata Moir.

De duas, uma. Ou este colega não sabe, ou sabe muito porque é o segundo nome que passa que não confere com a pesquisa na web. Rs.

O chato disto tudo é que foi vendida para mim como Eria rosa sem nenhuma flor! Somente comprei porque o vegetativo dela me pareceu muito diferente. Arrisquei e não me arrependo. Veja https://www.blogger.com/blogger.g?tab=mj&blogID=3289191018640659854#editor/target=post;postID=5240073797087429024;onPublishedMenu=allposts;onClosedMenu=allposts;postNum=8;src=postname




Replantei logo depois da floração do ano passado.

Quando surgiram as hastes, pus o bokashi no funil de plástico e fui eliminar alguns pulgões com um pincel de cerdas chatas e pedi umas três hastes. Rs.


Arrisque: quando tiver interesse por algum exemplar, arrisque comprar sem etiqueta com identificação correta.

Aprendizado: use chorume pulverizado ou SPB spray, pois as hastes são miúdas e extremamente delicadas.

Dúvida no replantio: se cortasse os dois últimos bulbos e baixasse todo o conjunto de bulbos o exemplar iria bem? Nas fotos que vi na minha pesquisa, nenhuma tinha o vegetativo por completo! Havia somente fotos das flores...

Bom cultivo!



sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Feliz 2019! Desejo muitas orquídeas floridas.

Feliz 2019!

Desejo muitas orquídeas no seu cultivo.

Publico hoje duas delicadas que estão entoucerando muito a cada ano e aumentando as hastes florais a cada floração. Ambas tem o crescimento cespitoso e foram bem no vaso cerâmico.

Estas duas considero de fácil cultivo. Rega controlada, vento moderado e luz em abundância por pelo menos 4 horas por dia.

Uma é a Coelogyne sulphurea. Sua cor salmão quase transparente é diferenciada de outras orquídeas. Uma graça!







A outra é o Dendrochillum filiforme. Bem delicado que se destaca quando o vento movimento a haste floral pendente que possui várias flores bem pequenas. Sua cor amarelo esverdeado é bem vibrante. Particularmente não acho o vegetativo nada atraente, mas quando as hastes se desenvolvem repenso mantê-lo na coleção.





Ambas possuem as manchas na face inferior de suas folhas. Tratei como fungo e depois soube ser delas. Este foi o principal motivo de eu tê-las excluído da coleção, mas depois as mantive. Incomoda saber que suas folhas nunca serão verdes uniformes.



Há quem não dê o menor valor por elas. Gostam de flores grandes e perfumadas.

Por aqui são as queridinhas no momento!