sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Ajuste no cultivo das Cattleyas walkerianas

Olá,

Aqui a percepção está bem aguçada!

O gênero Cattleyas foram as mais recentes aquisições na coleção Brasiliana. São talvez as mais populares e tradicionais entre os colecionadores brasileiros e estrangeiros.

Aprendi na prática e com dicas preciosas de um colega estudioso e autodidata e gostaria de compartilhar com vocês, as fotos abaixo são das walkerianas, mas foram aplicadas às Cattleyas em geral por aqui:

1- Observe se são unifoliadas ou bifoliadas. Folhas largas, um pouco de sombra. Folhas estreitas, mais claridade ainda.
2- Estude os meses de replantio delas devido às raízes novas.
3- Limpe sempre as suas brácteas para observar e prevenir cochonilhas e pulgões.
4- Quando estiver com pseudobulbo novo, faça adubação nas raízes. Evite pulverização para não comprometer a frente nova da planta. Já perdi várias frentes de várias Cattleyas com a adubação por pulverização nesta fase vegetativa.
C. walkeriana bem debilitada e se recuperando com um pouco de substrato miúdo e musgo, bokashi após adubo 20:20:20.

Corte e replantio no substrato miúdo de casca de macadâmia, carvão e peroba picada. Bokashi sem cheiro na adubação.

C. walkeriana adora placa de peroba inclinada até 30 graus.

Frentes novas e completas após adubação 20:20:20.

5- O substrato é escolhido pelo tipo de raiz. Se média ou grossa, o substrato segue o tamanho. Se o substrato estiver bom, evite o replantio sem necessidade.
6- Recentemente ajustei ao substrato, acrescentei o musgo em pequenas proporções nos vasos já consolidados. Não podia replantar devido ao período do ano e percebi que estavam desidratadas apesar da rega diária.
7- Aprendizado com as Cattleyas: precisam de vento para não terem cochonilhas e  precisam de espaço.

Bom cultivo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário