sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Miltonia spectabilis semi-alba

Olá,

Hoje destaco o labelo da Miltonia spectabilis semi-alba que ganhei de um amigo de Ubatuba. Acredito que não seja nativa de lá, mas é nativa no Brasil!

Vejam que preciosidade!

Há associação que desclassifica na exposição as orquídeas que estejam com as raízes fora do vaso. Como "disciplinar" as raízes aéreas dela e o vegetativo escandente? - Se souber, me avise!




Vejam o vegetativo dela! Está comigo desde 2014. Neste ano a deixei mais exposta ao sol e ficou mais amarelada (bulbo e folha), mas nem por isso aumentou a quantidade de flores. É de se pensar se o risco de queimar as suas folhas vale a pena na obtenção de mais flores.

Digo que suas folhas diminuíram de tamanho e suas raízes aéreas estão maravilhosas e saudáveis.

Manterei cultivada no vaso de plástico com substrato misto miúdo. Aqui foi o que deu melhor resultado, recebe água todos os dias pela manhã ou no final da tarde.

Observe sua fragância levemente adocicada e muito suave!

Dica: compre a sua com flor. Há muitas formas com as cores do labelo bem diferentes. Algumas mais bonitas e outras bem desinteressantes.

Bom cultivo de Miltonias!

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Lista de desejos e oportunidade de compras!


Olá amigo,

Acabei de voltar de uma exposição anual de orquídeas! Imaginem a festa que foi encontrar algumas orquídeas disponíveis para a venda:



Bifrenaria harrisoniae alba é nativa do Brasil. Estava na lista de desejos! - na foto, a da direita.

Cattleya schilleriana amesiana “LB” x Cattleya schilleriana amesiana “Chapadinha”  é um cruzamento onde resultou nesta cor e cacho floral com seis flores. Um encanto de cultivo. É nativa do Brasil (sul da Bahia e Espírito Santo). Foi a compra de oportunidade. Cultivada por um colega, indicado por outro colega, custo x benefício excelente. Uma excelente oportunidade para aprender a cultivar esta espécie. À esquerda superior da foto.

Sarcochillus hartmannii é do leste da Austrália. Esta comprei pelo seu centro ser diferente da que está no Brasiliana. Sua forma não é tão arredondada, mas vi potencial no cultivo desta espécie. No centro da foto.

Habenaria rodocheila é terrestre nativa do sul da China à Malásia às Filipinas. Não resisti ao apelo da sua cor e morfologia. No centro da foto, na cor rosa com salmão.



Ponerorchis graminifolia alba é nativa do Japão e sudeste da Korea. Havia visto a foto dela, mas nunca havia visto para venda. Oportunidade de aquisição. À esquerda da foto.

Todas elas possuem um risco alto no cultivo, mas há outras da mesma espécie que estão adaptadas e com o desenvolvimento em andamento. Resta observá-las no decorrer do tempo e minimizar o risco obtendo informações adicionais com os vendedores.

Comprei também uma batata com a folha pilosa na cor prata. Minha avó tinha uma dela com a flor salmão. Não é orquídea! Rs.

Aproveitei reencontrei colegas orquidófilos e/ou vendedores que obtiveram a premiação e me passaram algumas dicas de cultivo. Fui de carona com uma amiga e aproveitamos cada minuto do evento.
Conversando com o cultivador, esta planta tem seguramente mais que 15 anos! Show no cultivo da C. schilleriana!

Voltarei no domingo pela manhã para buscar uma orquídea encomendada com um colega fornecedor, vasos e substratos. Rs.

Bom cultivo!

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

O ralo no cultivo das orquídeas

Olá,

Temas de sustentabilidade e práticas saudáveis são dois contextos para repensarmos algumas besteiras no cultivo de orquídeas. Aqui vão algumas das experiências no Brasiliana onde houve alguma perda, ou seja, algo foi para literalmente para o ralo.

1- cortar ou repicar a sua touceira. Nunca! O risco de perder os cortes ou enfraquecer a planta é enorme e a prática vale para quem tem muita experiência e conhece o cultivo do seu exemplar. Quase perdi uma Miltonia spectabilis assim. É necessário muita adubação para que os cortes não definhem.

2- adubação em demasia. Quantidade excessiva sem necessidade. Ou o substrato graúdo não absorvirá ou a planta literalmente secará com o bokashi, por exemplo! Sempre destine uma quantidade menor que a recomendada pelo fabricante e vá aumentando conforme o uso e observação depois de testado nas suas orquídeas.

3- adquirir exemplares não recomendados para o local do seu orquidário. Ou destine a adaptação necessária ou abra mão da muda ou planta adulta. Enquanto não perceber isso, haverá danos nas orquídeas, seja ele qual for.

4- fazer a divisão para agradar um amigo. Se a planta estiver com poucos pseudobulbos ou pequena, esqueça! Espere mais dois anos e presenteie com um lindo corte, enquanto isso, a sua orquídea agradece e estará bem cuidada até lá!

5- perceber que a orquídea está literalmente definhando. Procure o fornecedor ou leve o exemplar para os cuidados e correções necessárias até por um cultivador experiente (tutoramento, substrato, iluminação, etc). Pode parecer óbvio, mas o olhar do iniciante não considera isto. Todo dia vai ver a sua plantinha, mas não faz idéia que ela está pedindo ajuda e corre o grande risco de se extinguir.

Pense! A sua empolgação poderá não considerar os riscos e conseqüências para os seus exemplares.

Dica: dê cortes saudáveis para um amigo de confiança! Se o seu exemplar não se adaptar no seu orquidário, daqui alguns anos poderá ter um outro corte de volta. Aqui vale uma ressalva, orquidófilos querem plantas e são movidos por este interesse. Observe qual deles é mais confiável para receber a sua orquídea! Rs.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Café e troca de informações no cultivo das orquídeas

Oi. Hoje falaremos de troca de informações.

Numa rápida visita, o orquidófilo e ilustrador botânico Alessandro Cândido trocou muita experiência no cultivo das orquídeas. Desde os seus 10 anos de idade aprecia e cultiva os seus exemplares.
Ambos tagarelas e felizes no cultivo das orquídeas
Aqui está uma Cattleya luddemanniana alba tutorada por ele enquanto tricotávamos sobre as espécies, flores, perfume, substrato, ilustração, e tudo mais que tínhamos para mencionar durante a sua permanência no Brasiliana.




Entre um cafézinho e outro, muita referência de cultivo e procedência das nativas nos orquidários do Brasil.

Bom cultivo!




Compras nas exposições

Olá,

A primavera chegou e estamos dispostos a ver flores e flores! Prepare o bolso.

Há muitas exposições de orquídeas por todo o Brasil. Se tiver chance, vá conhecê-las e verá muitas espécies e exemplares maravilhosos!!!

Veja abaixo o sonho de consumo! Colecionadores que possuem exemplares enormes e lindos! Diga-se que estes exemplares não foram premiados, mas demonstram a qualidade geral.

Gastrochis humboldti

Arphopyllum giganteum

Scaphyglottis sp

Dicas para visitação:

  • Combine com um colega mais experiente no cultivo. A visitação se tornará mais interessante e aprenderá mais rápido com o convívio dele. Evite grupos, demorará mais e não terá tempo para ver com calma cada exemplar exposto.
  • Vá com trajes confortáveis. A idéia é dar uma olhada geral e depois escolher os exemplares a serem adquiridos. Tome água e leve a câmera ou celular para muitas fotos.
  • Dê preferência para as rotas de transporte e horários mais flexíveis. Poderá trazer as plantas numa caixa dentro do ônibus urbano ou estacionar o seu carro num local próximo e seguro perto do evento.
  • Aproveite e compre o cachepot de plástico, de madeira, substratos e coisas que já pesquisou na internet e precisará nos próximos meses. Geralmente, o preço é menor e você não precisará pagar o envio destes produtos, então o valor final será mais em conta.
  • Escolha os exemplares à venda, reserve-os junto ao vendedor. Feche a conta e retire na saída. Não fique carregando sacolas e caixas. As orquídeas podem ser danificadas.
  • Como escolher a sua orquídea: primeiro, a que você gostou e puder pagar! Se não puder pagar, veja se há exemplares menores à venda por um preço bem modesto que caiba no seu bolso. Geralmente há terrestres na primeira floração com valores bem interessantes. As menores exigirão um cuidado maior, mas potencialmente terão um melhor custo-benefício no cultivo.
  • Se puder, leve um caderno com a lista das suas e faça lá a lista de desejos com a referência de preço, assim poderá programar a compra para o próximo ano, quando ela estiver florida novamente. Já aconteceu de ir buscar no ano seguinte e não havê-la. Contacte o vendedor antes e combine a compraAfinal, comprar sem ver a flor, evite! Você poderá se decepcionar!
  • Assim que chegar na sua casa, dê bastante água no substrato. Geralmente estão desidratadas. Adube-as.
  • Tutore, limpe o máximo que puder cada exemplar e deixe em quarentena.


Boas compras e bom cultivo!