sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Keiki ou bebê de orquídeas

Oi! Hoje falaremos a observação de alguns keikis (plural de keiki, palavra que significa bebê no Havaí/EUA).

Dificilmente conseguimos reproduzir a partir da planta adulta fora do laboratório. Daí o interesse dos amadores pelos keikis. É através deles que a reprodução será garantida e seu crescimento é bem mais acelerado que a reprodução no laboratório que terá no mínimo uns 5 anos de desenvolvimento. Porém nem todas as espécies produzem os keikis.

Os keikis surgem quando são estimulados ou quando a planta mãe emite sinais de amadurecimento e/ou declínio no seu desenvolvimento. São importantes porque garantem as mesmas características genéticas de mãe para filhos.

Veja a lista de ocorrência de keikis na coleção Brasiliana: Polystachia neobenthamia, Restrepia brachypus, Pleurothallis cardiostola, Acianthera prolífera, Dendrobium anosmum, Dendrobium moschatum, Zootrophyum dayanum var. xanthinum, Phalaenopsis lueddemanniana modesta, Phalaenopsis pulchra e Cadetia taylorii.






Dica: quando estiverem bem enraizadas, Vandas com no mínimo 3 raízes grandes, corte o keiki e replante-o. Geralmente a folha antiga ou o rizoma permanecerão na planta adulta.
Única flor no centro da folha, sem keikis.

Os keikis surgiram no centro da folha junto da haste sem a flor.




Nenhum comentário:

Postar um comentário