sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Coleção de orquídeas terrestres

Amigos de orquídeas terrestres,

Demorei por entendê-las! Ainda estou rezando muito para agradá-las. Rs. Reze por elas também!

Tenho algumas orquídeas terrestres de fácil cultivo, entretanto há algumas mais delicadas que necessitam de acompanhamento constante. Vejam abaixo à esquerda:

Stenoglottis longifolia https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=3289191018640659854#editor/target=post;postID=6688809308212761656;onPublishedMenu=publishedposts;onClosedMenu=publishedposts;postNum=44;src=postname 
e
Sacoila lanceolata https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=3289191018640659854#editor/target=post;postID=579633500819168170;onPublishedMenu=publishedposts;onClosedMenu=publishedposts;postNum=72;src=postname . Soube ser polinizada por beija-flor, então mantive perto do canteiro onde os pássaros visitam o jardim. Suas folhas quase foram dizimadas por insetos.


Dizem ser de difícil cultivo por não pertencerem ao nosso habitat:

Acima à direita: Orchys italica ou Naked man orchid (orquídea do homem nu) originária da Grã-Bretanha até o norte da África. Dizem ser de difícil cultivo. Veio plantadas com mistura de perlita e substrato com húmus e não ácido. Ainda estão se desenvolvendo. Adicionei areia média, micorizas e bokashi e mantive no vaso de plástico. Suas folhas são manchadas como a Stenoglottis longifolia.

No topo superior direito, a Ophrys speculum ou erva-abelha nativa da península ibérica, predominante em Portugal: Algarve e ilhas dos Açores. Também existe na Espanha, Chipre e Grécia. Se ela crescer bastante com o que foi adicionado ao vaso, terá que ser deslocada para um vaso maior, pois deverá crescer bastante.

Ainda não tenho as florações das duas. Teremos que rezar e aguardar. Rs.

Bom cultivo de orquídeas terrestres!



sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Polystachia neobenthamia

Prezado leitor(a),

Não pude resistir na aquisição desta terrestre no início da coleção: Neobenthamia gracilis, atualmente denominada Polystachya neobenthamia.

Lindinha!

(Devo confessar que não se assemelha com uma Polystachya que possuo e nem com demais epidendruns).

É terrestre e endêmica na Tanzânia/África. Desenvolve-se entre rochas e zonas com certa umidade.

Parece um capim, uma espécie de bambu. No topo solta uma haste única com várias flores formando uma bola, sua duração é prolongada, cerca de até um mês. Vem no início do verão com vigor total para despontar a sua floração.

Vegetativo bem desordenado, necessita tutoramento

Cada flor tem o labelo com pontuações púrpuras e risco laranja/amarelo ouro. Bem agradável!


Não possui fragância acentuada.

Considero de cultivo fácil para iniciantes. O grande segredo é destinar sol direto e rega abundante no verão, exceto no inverno onde deverá ter pouca rega e controlada.

Observe keikes e faça o replantio deles.

Feliz 2018! Bom cultivo de orquídeas terrestres!







sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Hadrolaelia alaorii

Hadrolaelia alaorii é o assunto de hoje!

Rosa claro

Sinônimos: Laelia alaorii, Sophronitis alaorii, Laelia alaorii f. dietliana, Sophronitis alaorii f. dietliana, Cattleya alaorii.

Soube que é epífita sob luminosidade moderada. Altitude de 400 a 1.000m originária da Bahia.

Sua coloração rosa é imbatível! Geralmente possui uma única flor pequena de 5cm com duração de até 15 dias. Esta veio com apenas uma única flor no início do verão e também floresce no início do outono.

O cultivo dela é considerado fácil.

Eu perdi uma 4N por falta de umidade no substrato e vaso cerâmico e ajustei o cultivo desta para não perdê-la: atualmente está num vaso de plástico com casca de macadâmia e carvão. Fica cerca de 1m acima do chão sobre um canteiro de terra que mantenho úmido.

Fica ao ar livre. Está indo bem. Não descuido do lesmicida.

Queimou a folha devido ao sol direto
Recomendo tê-la na sua coleção! É pequena e bem interessante quanto à forma do seu labelo e pétalas.




sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Destaque do mês: Eria spicata 'Moir'

Escolhi esta Eria para o artigo de hoje. Tive a contribuição de uma amiga do Facebook na identificação dela: Eria spicata 'Moir'.

Nunca havia ouvido sobre ela até a exposição de 2014.

Comprei e estive direcionando o cultivo vegetativo do tipo escandente. Tutorei com um toco de café sem casca e mantive a simetria em evidência.

Percebi a diferença em relação as outras Erias que gostam de substrato que retém mais a umidade.

Após 4 anos, floresceu a partir do quarto pseudobulbo. Duas hastes em cada. Um show a parte!

Sinto não poder acrescentar mais sobre esta orquídea! Rs.

Bom cultivo das Erias