sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Delfina de Araújo.

Olá orquidófilos viajantes,

Hoje trago uma dica para quem for viajar ao Rio de Janeiro. Recomendo visitar o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Vista do Cristo pela mureta da Urca

Vista do Rio estando em Niterói

Durante a minha estadia lá, programei e fui visitar a amiga de longa data da rede social: Delfina de Araújo. Ela tem um blog de orquídeas muito famoso no mundo todo e eu nunca achei que fosse encontrá-la e conhecê-la pessoalmente. Pude presenciar um acolhimento sincero que só o carioca faz.
Da esquerda para a direita: Delfina, eu e a estagiária Vânia

Cheguei no Jardim Botânico do Rio de Janeiro com o sol a pino. Comprei o ingresso, visitei a loja e entrei passando pela catraca seguindo o mapa interno. O objetivo era visitar o orquidário e o bromedário em primeiro lugar.
Observando o cultivo de Laelia lobata
De volta ao Brasiliana havia estas floridas:
Miltonia spectabilis alba presente amiga Olga Ori e Miltonia spectabilis semi-alba presente do amigo Lino Ubalino. No inverno passado havia deslocado ambas para o local com sol pleno e este ano já produziram um excelente resultado.
Sarcochillus hartimannii com floração reduzida e novas frentes.
Bifrenaria harrisoneae com flores maiores e em menor quantidade
Lycaste aromática no final da floração sem nenhuma folha. Tenho orgulho porque agora está no local certo: muita claridade, sol pela manhã.
Aerangis articulata se adaptando no replantio.
Bulbophyllum smithinandii, presente do colega Poul Hove Sorensen. Primeira floração.
Preciso esclarecer este tem bulbos sem rizoma entre eles. Não confunda com os seus primos:o B. Claptonensis tem o rizoma.
Ah, um fato curioso: Rio 37 graus, São Paulo 15 graus. Este cultivo me chamou a atenção no Pão de Açúcar.
Phalaenopsis cultivadas em pleno sol! Quem diria? - Ver para crer! Cultivo no Pão de Açucar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário