sexta-feira, 2 de junho de 2017

Maxillaria schunkeana, a orquídea negra

Oi,

Aguardei a sua floração para falar um pouco dela. Conhecida como orquídea negra ou Brasiliorchis schunkeana.

Nativa do estado Espírito Santo gosta de sombra e umidade alta no verão. No inverno, diminua a rega.

Planta de pequeno porte menor que 20cm e flores com até 1,50cm de diâmetro.

Sempre me fascinou, cor escura (vermelho escuro, não preto) quase imperceptível junto do substrato. Nunca adquiri porque sempre me falavam ser de difícil floração. Sendo do gênero Maxillaria, aqui nunca foram bem, muitas morreram no início da coleção Brasiliana.

Ganhei dois vasos de dois amigos, um em 2015 e outro em 2016. Como a primeira não tinha dado flores, desloquei-a para outra área no inverno. Ambas foram bem na área descoberta com sol fraco pela manhã. Ficam no canteiro debaixo de um pé de mirtilo plantado no vaso. Rapidamente abriram frentes e entouceiraram.

Ambas cultivadas em vaso de plástico, isopor ao fundo, substrato fino com musgo.

Tomam sol pela manhã, recebem rega diária pela manhã ou no início da noite durante o verão, primavera e outono. Durante o inverno rego em dias alternados.

Adubação com chorume regularmente e bokashi ambos bem diluídos, três vezes ao ano.

Por ser nativa do Brasil, valerá a pena tê-la em sua coleção, principalmente se gosta das pequenas. É uma das mais belas deste gênero.

Bom cultivo das Maxillarias!


Botões pequenos, quase imperceptíveis

Labelo brilhante

Nenhum comentário:

Postar um comentário