sexta-feira, 7 de abril de 2017

Sistema vegetativo das orquídeas

Olá,

Hoje escolhi um assunto muito relevante para o cultivo das orquídeas: sistema vegetativo. Neste mês terá a sequência deste assunto, acompanhe.

A importância deste assunto se deve ao buscar o desenvolvimento natural da orquídea e o melhor resultado no cultivo.

Vou dar um exemplo: muitas micro-orquídeas ou mini-orquídeas são replantadas para desenvolvimento para baixo no toco de madeira para que produza raízes. Esta é a alegação de alguns cultivadores. Por aqui não deu certo! Todas se movimentaram para a luz do sol independente da direção de suas raízes e de seu sistema vegetativo.

Detalhe: a aplicação sistemática da vitamina b trouxe resultado melhor na produção de raízes junto com as micorrizas.

Outro exemplo: vasos de barro/cone de barro totalmente na vertical onde a água é depositada dentro dele. Nem todas as cultivadas se deram bem. Por que? A frente da planta é a primeira a perder a umidade e a sua "traseira" ficava mais tempo com a umidade. A diferença no cultivo do toco de madeira inclinado poderá ser vista abaixo no exemplo da Encyclia.

Mais um exemplo, a sua frente seguia o leste e deixava a base circular.

Enfim, desisti destas práticas citadas acima. Se você conseguiu, parabéns!!! Deve ter alguma variante para driblar as leis naturais que envolvem este processo que ainda desconheço no cultivo das orquídeas em geral.

Até a próxima semana!


Formato do labelo bem interessante, o seu vegetativo nem tanto.
Primeira floração no Brasiliana.

Grobya amherstiae cultivada no vaso de plástico e musgo.
Soltou uma frente perto da borda do vaso e a haste floral no pseudobulbo antigo.
No próximo ciclo perderá as folhas e avançará mantendo estas condições.


Pholidota imbricata tem haste pendente com diversas flores

Destine altura livre para a floração pendente

Toco com pequena inclinação num cachepot de madeira sem substrato algum

Encyclia bracteata pendurada sob o Ficus

Nenhum comentário:

Postar um comentário