sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pequenas notáveis: Stelis

Olá,

Escolhi as pequenas notáveis, micros ou mini orquídeas como preferirem denominá-las.

Há uma tentativa de definí-las pelo tamanho da flor, pelas características físicas mas ainda não é consenso a sua denominação, assim como a categoria botânica para premiações de cultivos nas exposições pelo Brasil e mundo afora.

São de flores pequenas e um charme no cultivo. Há várias espécies a serem escolhidas para uma coleção particular.

Hoje será dado um destaque para a Stelis. Há muito que aprender sobre elas.

Uma delas é a Stelis argentata. Dependendo da sua população, a cor da orquídea muda de claro para escuro.

Montei uma coleção de Stelis a partir da argentata. Gostei dela e como entouceira bem no período de um ano. Sua floração tem sido espaçada em dois períodos do ano: maio e novembro.


O desafio para o cultivo dela é que dê muitas hastes florais. Cada haste se desenvolve a partir da face da folha e parte superior do caule. Ainda não acertei a adubação ou a iluminação dela. Vem hastes mas não na quantidade desejada.

Adquiri as primas Stelis pauciflora, deregulares, fraterna, aprica, megantha. Nenhuma ainda deu o ar da graça com suas flores. Estão com novos brotos e tenho observado-as, corrigindo local para mais musgo ou umidade.
Stelis aprica

Ganhei a litoralis e a microstelis.
Acredito ser a litoralis, mas não pude confirmar pelas suas flores. Não abriram direito e não pude analisar se o tamanho das pétalas é diferente que as sépalas. Pelo seu crescimento lento e tamanho imagino não ser uma Stelis argentata...(ficarei devendo para a próxima floração)

Stelis microstelis com floração em novembro
Já a Stelis ciliaris. Não dá tanta haste, mas é a única desta relação que possui flores maiores e haste pendente. Teve floração em maio e agosto.
A cor verde se destaca nas flores escuras

Stelis ciliaris - sua haste pende formando uma graciosidade de suas flores com os botôes na sua extremidade.

Enfim, alguns orquidófilos não dão valor para estas pequenas e outras. Por outro lado, há alguns apaixonados por elas...(ainda bem que há gosto para todas. Rs).

Aqui no Brasiliana elas se adaptaram rapidamente. Todas foram replantadas no vaso cerâmico, isopor no fundo, mix de musgo chileno, casca miúda e carvão.

Rega quando necessário, adubação como as demais. Nada de especial.

Ah, esqueci de comentar que acrescento as micorrizas no replantio delas, é claro!

Bom cultivo das pequenas. Monte uma coleção delas. Ficará feliz com a floração delas, são extremamente delicadas.













Nenhum comentário:

Postar um comentário