sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Dica quente: substrato para Laelias purpuratas e outras orquídeas

Olá amigos,
Considerei esta dica quente!

Sobre o cultivo das Laelias purpuratas:

Um amigo me ajudou a replantar algumas plantas recém adquiridas e outras que estavam indo mais ou menos no Brasiliana, as Laelias purpuratas.

Eu adquiri um lote de cortes delas no ano passado e elas aceitaram bem a vitamina B com o cálcio, pulverizei por um mês uma vez por semana, enraizaram, entretanto não se desenvolveram depois do replantio no musgo.
A decisão pelo cultivo no musgo foi para que elas não se desidratassem e se adaptassem bem no primeiro ano aqui. Doce engano da minha parte. Elas empacaram!!!

A grande dica foi para que as Laelias ficassem somente com substrato graúdo sem nenhum musgo. Foram plantadas em vaso de plástico.

Substrato graúdo misto
Para as orquídeas que gostam do musgo:

Quanto ao musgo, eu deixava encharcado de água, espremia e replantava. Ele me passou que devemos usar pouca água e soltar as fibras. Isto faz que as raízes fixem bem rapidamente com o musgo.

Já comprei o musgo nacional, cor rosa e amarelado, solto no pacote. Vem com bastante areia e não gostei do resultado nas orquídeas. Prefiro o musgo chileno vendido mais prensado e mais encorpado. Parece o tal bom, bonito e barato, mas o preço é de importação/câmbio.

Musgo chileno com pouca água
Considerei ele molhado com um excelente rendimento. Ele reage bem com a micorriza e demais agentes do meu cultivo: chorume e bokashi.

Para evitar encharcamento no inverno utilizo espaçamento maior na rega e quantidade menor na mistura do substrato. Isopor no fundo do vaso tem apresentado uma boa condição com o musgo chileno.
Stelis argentata com musgo chileno, isopor e cultivada no vaso cerâmico

Sobre a fibra de côco:

Raramente utilizo fibra de côco desfiada ou em pedaços. No passado esta fibra reagiu muito com o bokashi e acabou queimando as raízes. Suponho que tenha decomposto rapidamente e ficado ácido para as orquídeas. É o que ouvi muito na época.

Utilizo o mix com fibra de côco nas Maxillarias e outras que possuem raízes finas e gostam de substrato seco de drenagem rápida. Sempre com muito carvão e cascas bem pequenas.

Substrato misto com fibra de côco


Sobre a casca da macadâmia com carvão:

Tenho preferência por ela, para orquídeas de porte médio para cima. A durabilidade do substrato é superior aos demais. Tem apresentado um bom resultado. Para as orquídeas que gostam de calor e umidade baixa não tenho conseguido um bom resultado: epidendrum e laelias. Ainda estou observando o que pode significar um melhor resultado, pois acrescentei um pouco de musgo e nada melhorou.
Bulbophyllum com macadâmia, carvão e brita

Aprendizado:

Estes cortes das Laelias foram saudáveis e resistentes por um ano! Uau.

Observe e troque experiências na prática com cultivadores, fornecedores, orquidófilos que estāo dispostos a ajudar a melhoria do cultivo da sua coleção.

Esse mesmo amigo recomendou algumas orquídeas que eu desconhecia nos três orquidários comerciais que visitamos juntos num só dia. Fizemos as compras, ficamos sem almoçar, voltamos com o carro lotado de novas orquídeas, trocamos cortes e as replantamos.

Quer vida melhor que a companhia dos amigos e das orquídeas floridas?

Bom cultivo e aproveite o feriado em casa replantando as suas orquídeas. Lembre-se de observar as raízes e escolher o substrato que melhor é aceito por elas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário