sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Cultivo da Sarcochilus hartmannii

Olá colega orquidófilo,


Hoje falaremos sobre o cultivo da orquídea Sarcochilus hartmannii.




Soube que ela é rupícola e se desenvolve nas escarpas ensolaradas ou sombreadas na Austrália. Imagino que o habitat dela é a encosta do litoral do Espírito Santo ou algo similar, pois não conheci o local na Austrália, não é mesmo?
Obtive de alguns cultivadores estas características para o nosso entendimento sobre o seu cultivo.
Altitude: 500 a 1.000 metros.
Sombreamento: 70% ou 500 lux.
Floração: agosto a novembro.
Duração das flores: três semanas.
Tamanho quando adulta: até 80cm.
Tamanho da flor: 3 cm.
Quantidade de flores: até 25 por haste.
Caraterísticas que a diferem da "prima" Sarcochilus fitzgeralddi: crescimento vegetativo ereto ou levemente arqueado.
Eu tive a oportunidade de adquirí-la adulta com várias plantas menores ao redor da planta principal. Veio cultivada em casca de pinus grande, o que faz sentido com suas raízes grossas e vigorosas. Veio plantada em vaso de plástico médio. Apliquei a quarentena e rapidamente passei para o vaso cerâmico com furos nas laterais, complementei com um pouco de musgo chileno e pouco de carvão com isopor ao fundo.
Observei que havia resíduo de bokashi e mantenho as minhas com ele. Acredito que esta adaptação foi excelente para ela. Veio de um orquidário de Jundiaí com mais sol e calor que no Brasiliana.
Deixei-na no local juntamente com as minhas Phalaenopsis. Local protegido do frio e excesso de água no inverno. Luz indireta pela manhã, boa circulação de ar e plástico agrícola na cobertura das pérgolas de madeira.
Quase um ano depois, eis que vejo duas hastes se desenvolvendo lentamente na direção norte, quase simétricas.
Ansiosa em ver as suas primeiras flores, a separei para os cuidados da rega não atingir as suas hastes florais.
Após cerca de um mês, a primeira flor abriu e me encantei com a sua forma arredondada, tom do branco, textura e cor central. Enfim, uma sensação gratificante.
Costumo publicar e compartilhar nas redes sociais as primeiras fotos. Eis que um colega elogiou o cultivo alegando ser de difícil floração?!?!? -Como assim?
Isso mesmo! Ele está numa região mais ensolarada com influência da brisa do mar e não teve o êxito na floração da sua planta.
Suspeitei que havia a incidência de luz como fator decisivo. Medi com o aplicativo  gratuito do celular Lux Meter e apresentou 500 lux.
(Lux é a unidade de iluminamento, intensidade de iluminação ou iluminância. Corresponde à incidência perpendicular de 1lúmen em uma superfície de 1 metro quadrado.)
Também não entendi, mas sei que aos poucos estou assimilando a relação lux com as orquídeas e seus lugares no Brasiliana. Hoje eu sei que esta pequena gosta do local com 500 lux. Ponto! Deu certo.
Para entender luminosidade/sombreamento é o seguinte. Observe os livros e literatura para as orquídeas, poucos declaram a condição do habitat em lux. Declaram sombreamento. Aqui no Brasiliana demorei a entender que não havia luminosidade não porque o sol incide diretamente ou não em cada orquídea em cada local/zonas que separei. Corrigi pintando as paredes de cor branca, trocando o sombrite por plástico agrícola, adotando telhas translúcidas, ou seja, bordei e pintei para que as orquídeas estivessem na simulação do habitat e na condição de luminosidade e não de sombreamento, porque aqui era necessário luz/lux.
Analise a condição e o local do seu orquidário e verá que necessitará de outros instrumentos para um bom cultivo de todas as suas orquídeas. Talvez descubra que necessita de sombra.
Agora para o produtor e cultivador pensar em sombreamento faz todo o sentido. Terreno aberto ensolarado, equipamentos controlam para que a flor seja induzida para datas comemorativas de apelo comercial onde estarão tinindo no mercado consumidor.
Para nós mortais apaixonados pelas orquídeas da nossa coleção particular, observar a luminosidade é o melhor raciocínio, não tem erro. Não há como mudar de casa todo ano para cultivar orquídeas da coleção que se multiplica.
Para valorizá-la, tutorei com arames. Ela iria para a Exposição Anual e Cultural de Orquídeas da Sociedade Bandeirante de Orquídeas no Clube Banespa, mas suas flores se ressentiram com a elevação de temperatura e caíram antes do evento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário